22/02/2018

Palestra Há vida depois da escola?

Mais uma vez quisemos saber se há vida depois da escola e, para isso, convidamos o ex-aluno Renato Gil, que terminou em 2008 os estudos na Escola Secundária Dr. Júlio Martins para ingressar no ensino superior, na Licenciatura em Ecologia Aplicada.

No dia 20 de março, no Auditório da Júlio Martins, perante os alunos do 12.º ano, regular e profissional, o Renato falou do seu trabalho como educador ambiental, que visa a criação de uma Escola da Natureza, para o desenvolvimento ecológico e social desta região.

Do seu percurso destacou o envolvimento em programas internacionais e de voluntariado, que o levaram a viver em países como a Bulgária e a Finlândia e a crescer como profissional e como pessoa. Aconselhou os jovens a mexerem-se, a envolverem-se em atividades e projetos diversificados que os enriqueçam e lhes permitam desenvolver competências que, segundo a sua experiência, as aulas e os cursos superiores ainda demasiado teóricos não fazem: saber comunicar, trabalhar em condições diferentes daquelas às quais se está habituado, tomar decisões e solucionar problemas, conseguir relacionar-se com os outros, saber trabalhar em equipa e ser resiliente. Realçou a importância de saírem da sua zona de conforto e de não desistirem perante a primeira dificuldade.

Respondeu sobre modos de procurar e integrar projetos de voluntariado que, na sua opinião, são fundamentais para fazer a diferença. Constata-se que, hoje, os jovens se preocupam em acumular mestrados e doutoramentos mas, entre candidatos a um emprego com currículos brilhantes, são raros os que mostram competências que não se aprendem nos livros.

Ao longo da sessão, alunos e professores colocaram muitas questões e o Renato, sempre num registo descontraído e bem-disposto, respondeu e retribuiu com um rebuçado a cada um.

Em nome do nosso agrupamento, agradecemos ao Renato a disponibilidade que teve e desejamos-lhe as maiores felicidades pessoais e profissionais.

21/02/2018

Encontro com o jornalista Bruno Rodrigues


Promovido pelas bibliotecas escolares, decorreu na passada sexta-feira, dia 16 de fevereiro, na Escola Secundária Dr. Júlio Martins, um encontro com o jornalista Bruno Rodrigues.



Esta ação organizada pelas professoras Elisa Penso e Beatriz Santos, pertencentes à equipa da biblioteca escolar, enquadra-se nos conteúdos programáticos de Português, mais precisamente no estudo do texto não literário, e envolveu todas as turmas do 8.º ano e do ensino profissional, divididas em duas sessões.

O nosso convidado, que pertence à equipa redatorial do jornal O Jogo, mostrou em que consiste o trabalho de um jornalista, falou dos diferentes tipos de texto que tem de escrever e seus objetivos, mostrou como se cria um jornal e abordou, ainda, a importância desta profissão para a sociedade, não deixando de referir os obstáculos que surgem no decurso do ofício de um jornalista. Finalmente, respondeu a algumas questões colocadas por alunos, relativas às suas funções de jornalista e à especificidade de um jornalista desportivo, o seu horário de trabalho, tarefas mais apreciadas e menos apreciadas, etc.

Em nome do agrupamento de escolas Dr. Júlio Martins, agradecemos ao Bruno Rodrigues a sua deslocação a Chaves e a disponibilidade para estar com os nossos alunos a dinamizar estas ações.


O amor e a amizade, segundo o 5.ºC

Os alunos do 5.ºC, na aula de Educação para a Cidadania, abordaram a Amizade e Amor e fizeram um pequeno filme onde responderam a algumas questões sobre estes temas.

Em articulação com a biblioteca escolar, numa 1.ª fase os alunos foram divididos em grupos e cada grupo respondeu a uma pergunta relacionada com os assuntos, escolhendo uma imagem ilustrativa.
Posteriormente, procederam à escolha de um título, de uma música e fizeram a montagem do filme. A atividade realizou-se em 2 sessões.



Foi a primeira experiência da turma na criação de um filme, como produto final de um trabalho de todos os grupos. 
Parabéns 5.ºC pelo trabalho colaborativo!


09/02/2018

Dia Europeu do 112




O Número Europeu de Emergência 112 foi criado em 1991 e desde 2008 passou a ser o único número de emergência que pode ser usado de qualquer telefone fixo, móvel ou telefone público para aceder aos serviços de emergência em qualquer país da União Europeia, gratuitamente.




Os agentes Terra e Jaime estiveram presentes, na manhã de terça-feira, na biblioteca escolar, da EBSCT para sensibilizar e aconselhar as crianças e alunos sobre como utilizar adequadamente o Número Europeu de Emergência 112 .
A importância deste número único deve-se ao facto de haver, cada vez mais, uma grande mobilidade de pessoas na Europa e como tal o Parlamento Europeu decidiu instituir o dia 11 de fevereiro como o dia do número europeu de emergência. 

08/02/2018

Os Afetos na EBSCT

 “Que belo e que natural é ter um amigo!”
Miguel Torga

Recorrendo à leitura de uma adaptação do livro O sapo apaixonado, animada por fantoches, os alunos Escola de Enfermagem de Chaves,  Adriana Pereira, Ricardo Rodrigues e Sílvia Fernandes, orientados pela Enfª Clara Sèvegrand, da  UCC Chaves 1 – ACES Alto Tâmega e Barroso, realizaram nos dias 5 e 6 de fevereiro, quatro sessões, para todas as crianças do pré-escolar e alunos do 2.º ano de escolaridade da EBSCT.
Esta história contribuiu para introduzir a temática, tendo sido, posteriormente,  os alunos convidados a dar um abraço,  de acordo com a imagem sorteada.
Um abraço não precisa de palavras ou explicações e foi isso que se transmitiu, a autoestima e o respeito por si e pelo outro.
No final cantaram a canção Adivinha O Quanto Gosto De Ti,  de André Sardet e viram o filme Amizades Trocadas.

Agradecemos a todos o empenhamento e participação nesta atividade.



Mais uma história do Falco...


Igor e o conceito de amizade, foi a nova história lida pelos agentes Terra e Jaime, no intervalo do período da tarde,  do dia 1 de fevereiro,  tão do agrado dos alunos de todos os anos de escolaridade.
Como sempre, as temáticas são importantes e desta vez foram abordadas as amizades virtuais em redes socias, que suscitaram grande interesse e diálogos  muito ricos e proveitosos.

Muito obrigada pela vossa presença sempre oportuna e necessária.